Publicado: 06/10/2017

Petrobrás manobra para impedir contribuição assistencial da categoria e acelerar perdas de direitos

Em uma atitude claramente antissindical, a direção do Sistema Petrobrás resolveu prorrogar o prazo para os empregados manifestarem o seu desacordo quanto ao desconto da contribuição assistencial, via botão compartilhado, e ainda orientou os gerentes a dar ampla divulgação sobre o assunto.

A direção entreguista da empresa, não satisfeita em propor cortes de direitos para o ACT, agora interfere na relação entre a FUP, sindicatos filiados e a categoria petroleira. A empresa também incentiva a prática do masoquismo entre seus empregados. Afinal, ao apertar o botão compartilhado, o trabalhador, na prática, enfraquece o sindicato e ajuda a empresa a cortar os seus próprios direitos.

Não se deixe enganar, pois a atual direção da Petrobrás só quer fragilizar a FUP, os seus sindicatos filiados e, consequentemente, a categoria petroleira. A estatal tem planos de ser a primeira empresa a colocar em prática a contrarreforma trabalhista, que beneficia os patrões em detrimento dos empregados.  

Diante de tantos retrocessos e ameaças, a contribuição assistencial, usada para cobrir os custos da campanha salarial, com as mobilizações e greves, ganha uma importância ainda maior. 

Pense nisto. Não use o seu direito de oposição, contribua com a campanha reivindicatória, pois se opor a contribuir prejudicará a todos. Se mesmo assim você acha que deve pedir o direito à oposição, procure o sindicato, nunca a empresa.

Não se esqueça de que juntos somos mais fortes. Juntos vamos garantir a manutenção dos nossos direitos e barrar a privatização do Sistema Petrobrás. Fortaleça a FUP. Fortaleça o seu sindicato. Você só tem a ganhar com isso!