O que você achou dessa matéria?
bom (4) ruim (0)
Publicado: 29/03/2018 | 1271 visualizações

RLAM – Sindipetro se reúne com gerência da refinaria

Na tarde desta terça (27), diretores do Sindipetro Bahia se reuniram com gerentes da Refinaria Landulpho Alves para tratar de diversos temas

 

Efetivo das unidades de destilação

Sindipetro apresentou documento elaborado pela equipe de operadores das unidades de destilação da refinaria. Nele, os técnicos elencam melhorias necessárias à segurança de processo das plantas, a exemplo das telas gráficas da U-9, que estão fora do padrão corporativo. Questionam também o modelo de treinamento pretendido pela companhia para viabilizar a redução do efetivo operacional, onde operadores com pouca experiência estão responsáveis por treinar os demais.

A gerência reafirmou que a redução do quadro nas unidades de destilação (U-9 e U-32) está prevista no O&M e sua implementação está prevista ocorrer até agosto. O sindicato solicitou novamente que a empresa apresente o plano de treinamento dos operadores e que verifique as melhorias demandadas pela equipe.

Salientamos que não há orientação do sindicato para que os trabalhadores se recusem a receber treinamento, desde que isso não signifique concordância com a redução do efetivo. Em relação aos treinamentos na folga, argumentamos que os empregados não têm obrigação de comparecer à companhia durante esse período.

Mais uma vez reafirmamos que não concordamos com a redução do efetivo e lembramos que a questão está judicializada, com liminar favorável aos trabalhadores. Infelizmente a Petrobrás segue descumprindo decisão da justiça.

Os gerentes se comprometeram a dar tratamento ao documento elaborado pela base e nova reunião com o sindicato foi agendada para o dia 12/04.

 

Apagão: ocorrências na U-6

Sindipetro cobrou explicações a respeito da reversão de fluxo ocorrida no conjunto conversor da U-6 e os danos causados ao compressor de gás úmido durante o apagão do dia 21. A gerência disse ainda estar avaliando e que há grupo formado, inclusive com técnicos de outras unidades da companhia, para investigar as ocorrências. Relatórios devem ser apresentados no prazo de 15 dias e o sindicato indicará representante para acompanhar os trabalhos. Alertamos que reversão em conversor de unidade de FCC é evento de altíssimo risco e os fatores que o ocasionaram têm que ser devidamente identificados e as falhas corrigidas. O mesmo cuidado devemos ter em relação ao compressor, que operou por quase 1 hora sem lubrificação dos mancais. A empresa reconhece a necessidade de rever os estudos das Grandes Máquinas da RLAM. Os dois eventos têm potencial de causar danos catastróficos à unidade, à refinaria e às comunidades vizinhas.

Felizmente, a equipe operacional teve excelente atuação, não só na U-6, mas na refinaria como um todo, de forma que na RLAM os danos causados pelo apagão foram menores do que em outras refinarias da Petrobrás. Os diretores do sindicato solicitaram que a gerência reavaliasse o cenário, considerando que o evento ocorresse fora do horário administrativo: a equipe operacional, com os efetivos reduzidos, conseguiria dar conta dessa emergência?

 

Eventos de exposição ao Benzeno

Dois eventos com potencial exposição ao benzeno chegaram ao conhecimento do sindicato.

Na U-39, houve falha no selo interno da J-3906B e contato do operador com nafta (corrente classificada no PPEOB). O registro e o acompanhamento do caso não foram feitos, por falha de comunicação entre os setores de Segurança Industrial e Saúde Ocupacional.

Na U-46, houve vazamento de gasolina no tanque da U-4634C (corrente classificada no PPEOB). Segundo os representantes do SMS, Valter e Bráulio, não foi caracterizada exposição aguda e, por isso, a comunicação para CIPA/GTB/Sindicato não foi feita. O Sindipetro cobrou que a comunicação e o monitoramento do empregado exposto sejam sempre feitos, independentemente do nível de exposição.

GG Willian França informou que há verba e pessoal disponíveis para realizar melhorias na RLAM, como parte do Plano de Ação do PPEOB negociado com a CNBPz e com o MPT. Dessa forma, ficou acordado que a CIPA e o GTB deverão participar dessas discussões, verificando também as OPCs (Oportunidades de Próximas Campanhas).

 

  • Assuntos gerais da refinaria

 

Alimentação

As equipes têm reclamado da alimentação, sobretudo no turno. O próprio gerente geral reconhece que a qualidade tem deixado a desejar e se comprometeu a reativar o Grupo de Trabalho para acompanhar o contrato e realizar auditorias na área.

 

Ar-condicionado da U-9 e iluminação das unidades do RLAM/CB

O sistema de ar-condicionado da unidade U-9 está com defeito e o gerente de Infraestrutura informou que o equipamento precisa ser substituído. O Sindipetro argumenta que as condições da CCL estão ruins para os operadores. O GG autorizou verba para substituição do equipamento.

Em relação à iluminação nas unidades do RLAM/CB, o gerente Calfa diz que há um plano de manutenção para sanar os problemas. O Sindipetro solicitou acesso ao plano e irá acompanhar a resolução dos problemas.

 

Banheiros femininos nas CCLs

Discutida situação dos banheiros e vestiários femininos das U-7/7A/8 e EMED, que são improvisados e em salas inadequadas. A gerência se compromete em colocar em prática os projetos para melhorias e a CIPA deve procurar o Setor de Infraestrutura para cobrar as ações.

 

Transporte de turno

Mais uma vez o sindicato levou à gerência queixas dos operadores em relação ao transporte de turno, sobretudo nos roteiros Pituba e Imbuí. O Setor de Infraestrutura irá reavaliar os roteiros, de forma a evitar a utilização de transbordo, mas também tentando com que os empregados não passem tempo excessivo dentro dos micro-ônibus.

 

Fonte: Sindipetro Bahia