O que você achou dessa matéria?
bom (2) ruim (0)
Publicado: 15/03/2019 | 69 visualizações

Sarau das Pretas teve homenagem à Marielle, poesia, música e ato de resistência

No dia 14 de março, quinta-feira, o Sindipetro Bahia, através do seu Setor de Gênero e Raça, organizou mais uma edição do Sarau das Pretas. A data foi escolhida para homenagear a vereadora e socióloga Marielle Franco, que  um ano atrás foi brutalmente assassinada, juntamente com o seu motorista Anderson Gomes.

Uma placa de rua com o nome da vereadora, similar a que foi quebrada por extremistas de direita no Rio de Janeiro - hoje parlamentares do PSL- foi afixada na dependência do sindicato.

O evento, bastante concorrido, contou com a participação de trabalhadoras e trabalhadores da base petroleira, pessoas da sociedade civil, de movimentos sociais, além de parlamentares. 

“Através de um Sarau, um momento lúdico, ressaltamos a luta contra o feminicidio  e contra todas as formas de opressão”, explica a diretora do Setor  de Gênero e Raça, Christiane Petersen. Para ela é possível e necessário fazer a resistência por meio  da arte e da cultura.

O Sarau teve poesia, capoeira, música, arte e decoração e ainda o privilégio de contar com as mulheres da Banda Didá, que com os seus  tambores deram um show à parte.

Teve também homenagem à vereadora Marta Rodrigues (PT-BA), que recebeu um troféu da Petrolina, representando a importância das mulheres ocuparem seu espaço na política.

Para Christiane, o evento foi muito gratificante e vai em direção à organização de uma participação coletiva de homens e mulheres para a construção de um mundo melhor. “O Sindipetro como sindicato cidadão está fazendo a sua parte”, finaliza.


FONTE: Sindipetro Bahia