O que você achou dessa matéria?
bom (0) ruim (0)
Publicado: 24/11/2018 | 1376 visualizações

Não à violência contra a mulher

A violência é um dos mais graves problemas que atingem a humanidade no século 21, e um dos tipos de violência que mais preocupam, pelo seu crescimento, é a violência contra a mulher. A violência de gênero acontece no mundo inteiro e atinge mulheres de todas as idades, graus de instrução, classes sociais, raças, etnias e orientação sexual.

No domingo, 25 de novembro, é comemorado o Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e, apesar, de todos os esforços e avanços como a instituição da Lei Maria da Penha, é triste constatar que a violência contra a mulher ainda é uma cruel realidade.

De acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), publicados em reportagem do jornal Correio da Bahia, “de 2017 até o final de julho deste ano, foram abertos 38.670 processos judiciais de violência contra a mulher. São 67 processos abertos a cada dia ou quase três ações judiciais a cada hora”.

Já segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), em 2017, foram registrados nas delegacias de Salvador e região metropolitana 5.043 casos de violência contra a mulher. O crescimento das agressões pode ser constatado pelos números. Ainda de acordo com a SSP, até o primeiro semestre deste ano, já foram registrados 4.578 casos, sendo que 4 dessas mulheres foram mortas pelo simples fato de serem mulheres.

Mas esses números podem ser ainda maiores, pois muitas mulheres ainda têm medo de denunciar a violência, na maioria das vezes cometida pelo próprio companheiro.

Há muitos tipos de violência, as mais comuns são a  violência física, psicológica, sexual,  moral, obstétrica, patrimonial,  homicídio, feminicídio. Além de assédio no ambiente de trabalho.

O Sindipetro Bahia espera que o 25 de novembro seja uma data de reflexão e de luta para as mulheres e homens que acreditam numa sociedade justa e igual.

 

História         

O dia 25 de novembro foi eleito como o Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher, em homenagem às irmãs revolucionárias Mirabal - Patrícia, Minerva e Tereza, presas, torturadas e assassinadas em 1960 a mando do ditador da República Dominicana, Rafael Trujillo.

 

Essa data,  foi escolhida no 1º Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe, realizado em Bogotá, na Colômbia, em 1981.  Posteriormente, em 1999,as Nações Unidas declararam o 25 de novembro como  Dia Internacional do Combate à violência Contra a Mulher.

 

Se você presenciar  qualquer tipo de violência contra a mulher, denuncie. Clique aqui e saiba onde buscar ajuda em casos de violência:

 

Fonte – Sindipetro Bahia