O que você achou dessa matéria?
bom (2) ruim (0)
Publicado: 03/04/2019 | 2581 visualizações

Em reunião com o Sindipetro, gerência da UO-BA afirma que não pretende retirar trabalhadores (as) dos regimes especiais

Em busca de soluções para os problemas enfrentados pela categoria no dia a dia do trabalho, a diretoria do Sindipetro Bahia vem realizando uma série de reuniões com as gerências nas unidades da empresa.

No dia 29/03, sexta-feira, os diretores se reuniram com a gerente geral da UO-BA, Selma Andrade, quando trataram sobre uma extensa pauta.  

A gerente informou que está previsto um aumento de investimentos na unidade em relação a 2018, principalmente em Araças, Buracica e Bálsamo. Segundo ela vai ter aumento também de SPTs e uma campanha de perfuração durante todo ano.

A gerência convidou a direção do Sindipetro para uma visita e uma apresentação sobre a situação do campo de Miranga, afirmando estar trabalhando para manter a produção e tornar o campo atrativo e lucrativo, sendo na visão deles, a única forma de manter a Petrobrás na operação.

Também foram tratadas questões relacionadas ao norte capixaba e ao contrato da Telsan e Perbras. 


Acompanhe abaixo outros pontos tratados durante a reunião e as respostas da gerência: 

Transporte Vitória – A empresa será substituída até agosto e a  licitação já está em fase de conclusão. A Transporte Vitória tem recebido multas e a Petrobrás tem cobrado ajustes nos carros;

PIDV - A gerente afirmou que a UO - BA não suporta todas as saídas previstas por um PIDV de uma única vez e que, inclusive, já informou isso ao gerente executivo. Segundo ela para substituir as pessoas que saírem, a previsão é terceirizar e em um nível menor, repor com efetivo próprio.

Turno/Sobreaviso - A informação que foi dada ao sindicato é que a unidade não pretende retirar trabalhadores (as) dos regimes especiais. Segundo eles o que pode acontecer é a mudança de turno para sobreaviso em alguns postos, de acordo com análises realizadas. Essas mudanças vão depender de saídas de empregados próprios e a terceirização.

Modelo de contratação - O sindicato apresentou algumas propostas para melhorar o processo de contratação da UO – BA e  a gerência ficou de analisar em futuras contratações. Foi tratado também sobre o sindicato patronal e detalhadas as atividades que são de representação exclusiva do Sindipetro Bahia.

JPTE e Azevedo - Tratamos dos casos de empresas que dão calotes nos contratos e debatemos sobre a definição de um modelo que garanta rapidez e segurança para os trabalhadores, tendo como parâmetro as retenções e faturas presas. Apresentamos o modelo construído no caso da JPTE, para ser uma referência em futuras situações, o que a GG e Jurídico presente, concordaram.

Para o diretor do Sindipetro Bahia, Radiovaldo Costa, a reunião foi bastante positiva. “Agora, vamos aguardar para que as decisões sejam colocadas em prática”.